Descubra o Erro na Música #11- Tem dias que a gente se sente

Início » Blog » Dicas » Erro na música » Descubra o Erro na Música #11- Tem dias que a gente se sente

No início da década de 70, um famoso crítico musical disse que a canção só não ganhava um dez pelo "erro" na frase 'Tem dias que a gente se sente'

Por: | 2017-12-18T11:39:43+00:00 06 de março de 2017|Erro na música|

tem dias que a gente se senteTem dias que a gente se sente…” cheio de dúvidas de gramática?

Se for essa a sua continuação para a frase, pode ficar despreocupado. Pelo menos uma dúvida vai ser sanada na dica de hoje!

Você conseguiu descobrir qual se há erro ortográfico nesta frase da letra da música?

Então, vem comigo que nós vamos lhe explicar.

Composta por Chico Buarque, a música “Roda Viva” gerou polêmica quanto à norma culta da Língua Portuguesa. No início da década de 70, um famoso crítico musical disse que a canção só não ganhava um dez pelo “erro” no emprego de “tem” (o tal crítico queria “há” no lugar de “tem”).

Acho que esse crítico não estava familiarizado com a licença poética, não é mesmo?

Na frase “Tem dias que a gente se sente”, o verbo “ter” é muitas vezes utilizado no lugar do haver, do existir. Isso varia de acordo com a situação mais ou menos coloquial da composição.

Nessa música, Chico está compondo coloquialmente e, nesse caso, tudo certo utilizar uma linguagem menos formal!

Criatividade artística

Aliás, de qualquer forma, a composição de música – como já vimos – é pautada pela criatividade do artista, e ele tem liberdade para inovar.

Então, Chico, pode continuar compondo as maravilhas de sempre que a gente segue aplaudindo todas as canções – com ou sem licença poética, com ou sem linguagem formal. O que importa aqui é a linguagem da alma.

Gostou da dica de hoje?

Para você que adora música, como eu, aproveita e veja outros erros cometidos nas músicas sob a chancela da Licença Poética.

Que tal investir seu tempo para assistir às videoaulas de Língua Portuguesa no Qconcursos.com. Bons estudos!

Colaborou: Luana Magalhães, graduanda em Letras

Comentários