Redação: como elaborá-la dentro dos parâmetros exigidos?

Início » Blog » Artigos » Redação: como elaborá-la dentro dos parâmetros exigidos?
Por: | 2018-05-16T15:31:47+00:00 31 de março de 2016|Artigos|
Atualmente,  a maior parte dos concursos públicos tem cobrado Redação, tanto em provas de nível médio quanto superior. Como exemplo disso, temos a cobrança em provas como Banco do Brasil, Bndes e TRT, entre outras. É importante que os candidatos fiquem atentos a isso, leiam e estudem bastante, pois hoje a Produção textual define a classificação. Diante da importância da redação em concursos e da dificuldade de muitos candidatos, convidamos a professora do QC, Camila Faro, para dar umas dicas de como elaborar uma  redação que esteja dentro dos parâmetros exigidos pelas bancas.
O tipo de texto mais comum é o dissertativo-argumentativo e em relação a ele são necessários alguns cuidados.
Primeiro ponto é o uso ou não do título. Caso a proposta peça, você deve colocá-lo.Porém, caso não venha nada especificado, você pode optar por colocá-lo ou não. É importante saber que não se deve pular linha entre o Título e o restante do texto.
Cuidado com a separação das sílabas.Evite separar palavras dissílabas, pois é melhor que o vocábulo fique por inteiro de um lado ou de outro da linha.
Além disso, deve-se evitar que, na translineação, uma vogal fique sozinha, isolada no canto da linha. Outro aspecto bastante importante é a criação de palavras desagradáveis , ou até mesmo, ofensivas, na separação de sílabas. Recomenda-se também que não haja o uso de gírias , estrangeirismos e neologismos.
E por último, é de suma importância que evitem a repetição de palavras e termos, pois isso prejudica a compreensão textual. O conhecimento da estrutura é imprescindível para a realização de um bom texto, todavia é preciso comentar que escrever é um ato que deve sempre reunir dois fatores: técnica e criatividade.
Em relação à importância da redação em provas de concursos, Acredita-se que, ao observar a escrita do candidato, seja possível verificar um conjunto a respeito dele , isto é, como ele elabora as frases, a escolha do vocabulário, e o respeito ou não às normas gramaticais. Por isso, os concursos estão generalizando essa cobrança. Assim, conclui-se que a cada dia que passa redigir bem é algo imprescindível para adquirir um cargo público.

Um dos pontos cobrados pelas bancas é o domínio da norma padrão, ou seja, utilização adequada de regras gramaticais, como acentuação, pontuação, regência, crase, concordância,etc. Além disso, a compreensão da proposta da redação e a capacidade de selecionar, organizar e defender argumentos em relação a um ponto de vista é extremamente importante, uma vez que são responsáveis por grande parte da pontuação.

Outro aspecto imprescindível é o conhecimento de mecanismos linguísticos necessários à argumentação, por exemplo, o uso correto de conectivos. Por fim, a elaboração de uma proposta de intervenção para o problema abordado é algo que se deve dar bastante atenção, pois corresponde a uma devida conclusão do texto.

Escrever é um junção de técnica e criatividade. Ao elaborar sua redação, é importante que o candidato, primeiramente, identifique sua ideia principal a respeito do tema proposto. Compreender os textos que são colocados como base nas provas é algo que fará toda a diferença. Depois disso, ele deve selecionar argumentos plausíveis para defender essa ideia, e esses argumentos deverão estar separados por parágrafos.

Para manter um texto coeso e coerente, deve-se utilizar conectivos adequados, não só para ligar um parágrafo ao outro, como para unir orações dentro de um mesmo parágrafo. Esses conectivos auxiliam na manutenção da coerência do texto, isto é, um bom entendimento do que está sendo escrito.

Por fim, tratando-se de um tema polêmico ou que exige um maior posicionamento deve-se sempre, na conclusão, além de reafirmar a tese, elaborar uma proposta de intervenção em relação ao tema proposto.

Além disso, escrever corretamente de acordo com a norma culta, respeitando as regras gramaticais, é algo que deve estar presente em toda a Redação. As  redes sociais e a própria internet podem influenciar na escrita dos candidatos, uma vez que são os locais em que eles passam mais tempo se comunicando com os outros. Porém, nós, professores, sempre alertamos que saibam utilizar essa ferramenta excelente que é a internet, de forma que evitem os vícios de linguagem , as abreviaturas e as “fugas” à norma culta. Não é questão de proibição, mas é importante saber dosar esse uso para que ao se deparar com a feitura de um texto, não se faça uma reprodução da forma como se escreve nesses locais.

Na verdade, o equilíbrio é a melhor solução e o domínio da norma culta também, pois se você a domina, pode usá-la ou não, mas o importante é que sabe o que está fazendo. Estudar sempre para aprender as regras gramaticais que atendem à norma culta e que devem ser seguidas nos concursos públicos e usadas em determinados ambientes é a melhor solução.

Como diz nosso Mestre Bechara, ‘devemos ser poliglotas dentro da própria língua’, ou seja, sabermos utilizá-la em todo e qualquer contexto. Desta forma, não levaremos os ‘vícios’ da internet para o texto”.

Comentários